Freguesia de Amares e Figueiredo
 
SUB-CATEGORIAS

VEJA TAMBÉM
DOM GUALDIM PAIS

Filho de Paio Ramires e de Gontrode Soares, nasceu, em 1118.

Foi criado no mosteiro de Santa Cruz de Coimbra e ficou muito cedo ao serviço do futuro Rei, D. Afonso Henriques, combatendo ao lado dos seus irmãos de armas, os cavaleiros Mem Ramires e Martim Moniz, em todas as batalhas contra os Mouros para conquistar o reino. Torna-se ilustre durante a tomada de Santarém, em 1147, e durante a de Lisboa, em 1149, antes de embarcar para a Palestina, onde militou durante cinco anos como Cavaleiro da Ordem dos Templários tendo participado no Cerco de Gaza, em 1153.

A sua imponência e o seu porte de guerreiro e de chefe realçam ainda mais o prestígio que lhe conferem as suas extraordinárias qualidades de combatente e de organizador. A sua estadia no Oriente permitiu-lhe aperfeiçoar a sua já comprovada experiência militar e, quando regressa da sua Cruzada, conhece já a missão que o espera. Em 1157, é nomeado o quarto Grão-Mestre da Ordem do Templo em Portugal, na época, sediada em Braga.

Em 1160, Gualdim Pais financia a construção do Convento de Cristo e do Castelo de Tomar, que passa a ser o Quartel-General dos Templários em Portugal. É aí que se estabelece em 1162. Participou também na iniciativa de construção dos Castelos de Almourol, de Idanha, de Ceras, de Castelo Branco, de Monsanto e de Pombal. Instala-se em Pombal, em 1174.
Em 1190, Tomar foi cercada pelos Almorávidas sob o comando do Rei de Marrocos, Yusuf I, mas Gualdim Pais conseguiu defender o Castelo contra forças bastante superiores, impedindo assim a invasão do norte do Reino por essa região.

Morreu em Tomar durante o ano de 1195. Repousa na Igreja de Santa Maria do Olival, em Tomar, onde uma estela mural cobre um nicho que contém as cinzas do cavaleiro.